Buscar

Tr3s coisas que você precisa saber sobre... Censo Demográfico

Vamos fazer um exercício juntos: pense que você precisa aguardar 12 anos para receber uma informação que pode mudar a sua vida. Muito tempo, certo?


Este é o mesmo período que estamos sem a atualização do Censo Demográfico. Ele é de extrema importância para planejar, executar e avaliar políticas públicas e programas de impacto social com base em dados confiáveis sobre a população brasileira.


A Tr3s aborda o assunto no mesmo dia em que se celebra o Dia Mundial da População! A data é um alerta para encontrarmos soluções de desenvolvimento humano em um mundo em que boa parte das pessoas não têm acesso a recursos e serviços básicos como saúde, educação, saneamento, alimentação, etc.


No Brasil, para validar oficialmente as percepções de como estamos progredindo (e se estamos), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) bate de porta em porta e faz dezenas de perguntas sobre as condições de vida de cada família.


Aliás, se você não é fã de dar entrevistas, é bom se preparar! O Censo deste ano começa já no mês que vem! Por isso, decidimos compartilhar algumas curiosidades sobre o tema. Confira!


1 – O Brasil realiza censos desde 1872 e, desde 1940, nunca tivemos tanto tempo entre um e outro


O primeiro Censo Demográfico no país foi realizado em 1872, ainda no Império. Naquele ano, o Brasil tinha um número inferior a 11 milhões de habitantes, ou seja, menos que os atuais cidadãos que residem hoje no município de São Paulo.

No entanto, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) foi criado apenas em 1934, e a partir de 1940, assumiu o controle do Censo, que passou a ser realizado a cada 10 anos.


A edição do Censo prevista para 2020 foi adiada por duas vezes (pelo contexto da Covid-19 e por problemas orçamentários no IBGE). Pela primeira vez, em 82 anos, o Brasil está sem dados aprofundados e atualizados sobre sua demografia por mais de uma década, o que compromete uma série de políticas públicas.

2 – O Censo 2022 trará dados importantes sobre as questões socioeconômicas em um contexto de pandemia

Desde a pandemia de gripe Espanhola, vivida há mais de 100 anos, o Brasil não passava por uma crise sanitária como a que observamos, atualmente, com o novo coronavírus.


Os dados do Censo (que trazem insumos relevantes para o planejamento de ações públicas), desta vez, terão ainda mais importância. Sabemos que a crise sanitária teve efeitos não apenas sobre a saúde, mas também na educação, cultura, renda, entre muitas outras áreas. O Censo vai nos ajudar a saber o tamanho desse impacto e planejar possíveis soluções para os problemas novos e antigos do Brasil.


3- Se eu não for entrevistado(a), posso entrar em contato direto com o IBGE?

Sim. E deve. O IBGE realiza periodicamente diversas pesquisas de caráter amostral, ou seja, que abrangem apenas uma parte da população. O Censo é a única pesquisa que abrange 100% dos brasileiros. Por isso, todas as famílias devem ser entrevistadas.


Para os casos em que uma equipe oficial não consiga entrevistar um(a) morador(a) de um determinado domicílio, o IBGE costuma abrir canais eletrônicos de contato (telefone, site) para que o(a) cidadão(a) possa responder ao questionário.


Mais informações, aqui.


2 visualizações0 comentário